Arlequim - Capítulo 02 – Coração perdido

1 Comments »
Quando acordou estava deitado numa grande cama. Era a primeira vez que ele dormia numa. Sempre dormiu em qualquer canto. Achou aquela sensação indescritível, era macio e gostoso. Por ele, ficava o resto da vida deitado naquela cama. Mas esse pensamento se apagou num segundo, quando sentiu um cheiro vindo da cozinha que fez sua boca salivar. Lembrou da noite passada, estava na casa do homem que dizia ser o senhor da noite, arlequim achava aquilo tudo uma coisa irreal, havia uma coisa lá fundo da sua mente dizendo que aquilo não era sonho, mas o começo de uma coisa de grande importância para ele. Levantou-se e foi para a cozinha, pois a cama estava no quarto onde estava a escrivaninha, que no momento não estava lá, só uma cama. Lembrou ainda que quando passou na primeira vez naquele quarto tinha certeza que aquela cama não estava lá.

Entrou na cozinha e encontro o senhor da noite preparando um mexido de ovos com bacon, o cheiro estava insuportável de gostoso, para arlequim, ele comeria aquilo assim mesmo, pois sua fome estava quase fora de controle, mas esperou o senhor da noite preparar. Enquanto ele preparava, cantava uma melodia que parecia familiar para arlequim. - é a musica da polar! - Falou arlequim. - Isso mesmo! Vejo que tem gente que ainda gosta de bons contos e boas musicas! - Disse o senhor da noite. Agora cantando a letra da música, os olhos de arlequim brilhavam, pois aquela voz era linda, arlequim teve certeza que aquele homem era o senhor da noite, pois sentiu que ele cantava como se fosse dele aquela letra. Quando terminou, arlequim estava aos prantos. - Nossa! Ainda me surpreende esse menino! Por que choras criança? - Perguntou o senhor da noite. Arlequim explicou que no livro continha a historia daquela música. O autor do livro disse que a letra foi feita pelo o senhor da noite para a estrela que ele mais amava a estrela polar. - Sim, isso mesmo! - Sorriu o senhor da noite. - Mas como você teve certeza que eu era o senhor da noite, pois até ontem você não tinha certeza - Perguntou o senhor da noite. Arlequim falou que ao ouvir a canção do senhor da noite sentiu toda a emoção que uma música pode passar para aqueles que a sabem senti-la realmente. No livro continha que o senhor da noite era um grande cantor, para arlequim aquela voz tocou bem no fundo de sua alma. Então, passou a acreditar, mas ele achava que já acreditava desde que a menina pediu para ele ir ali. O senhor da noite perguntou para arlequim como ele veio parar até ali; ele sabia que ele viria por causa dos pássaros que vinham avisando para ele que um menino vinha fazendo o caminho do sol leste. Já como ele sabia o nome de arlequim, isso ele disse que depois explicaria, pois era hora de comer.

Quando acabou de comer o senhor da noite o levou para a sala. Quando sentaram nas cadeiras percebeu que aquela casa não possuía uma vela, lamparina ou lareira para iluminar o recinto, achou que depois perguntaria, pois a coisa que ele veio fazer ali era mais importante. Mesmo que o brilho dentro o deixasse com uma sensação de conforto. Percebeu que vinha ganhando novas sensações nas ultimas horas depois que chegou naquela casa.

O senhor da noite perguntou o que ele queria fazer ali, a última casa do lado norte do mundo. Sem querer, arlequim explicou como era sua vida, como tinha conhecido a garota, e sobre sua proposta de vim ate ali e fazer a pergunta. Quando terminou o relato, notou que o senhor da noite apenas o ficou observando. Depois da um tempo o senhor da noite pediu para arlequim explicar como era a menina outra vez. Ele explicou outra vez, o senhor da noite ficou num silencio maior que o anterior. Quando arlequim tinha certeza que o senhor da noite havia dormido, pois não se movia há bastante tempo, o senhor da noite olhou para ele e sorriu. - Não sei quem é essa menina! - Falou o senhor da noite. Só isso! Pensou Arlequim. Ele passou tanto tempo para dizer somente isso! Mas não sentiu raiva do senhor da noite, pois compreendeu que o senhor da noite estava fazendo alguma brincadeira, sentiu seu lábio direito fazer um movimento involuntário para cima, achou aquilo sem sentido, mas o senhor da noite que estava olhando para ele naquele momento, gargalhou como nunca, que se dobrou e as lagrimas desceram do rosto. Arlequim ficou sem entender, pois nunca viu uma pessoa fazer aquele movimento. Quando o senhor da noite terminou de gargalhar respirou fundo e pediu desculpa, pois viu que arlequim estava atônito com tudo aquilo, é ele não conhece isso, pensou o senhor da noite.

Explicou para arlequim o que tinha achado de toda aquela historia e da menina. Achou que arlequim estava precisando descobrir uma coisa importante. E que realmente não sabia quem era aquela menina. - Sua vida arlequim – disse o senhor da noite – é uma vida escura, como um menino da sua idade pode sentir tanta solidão? Nem mesmo homens que já viveram várias primaveras sentiram o que você sentiu, eu sei o que você precisa, precisa descobrir seu coração, você nasceu sem coração criança, enquanto não encontrar seu coração viverá assim, num mundo cinza e frio. O que essa menina pediu é mais estranho ainda, será que ela no percebeu que vivemos em ciclos? Sempre tem que existir o branco e negro, o bom e mal, o dia e a noite. São leis que rege o universo, e isso, é muita coisa para um menino da sua idade saber. Só posso dizer que, Sem a noite o mundo não dorme, pois o homem precisa sonhar, para quando acordar no dia seguinte ele esteja buscando aquilo que ele buscou quando foi dormir, é assim que tem que ser e nem eu posso mudar isso. As plantas precisam da noite para fazer flores abrirem no raiar do sol, os animais precisam descansar e recuperar sua energia, essas e outras coisas que só acontecem durante a noite; para essa garota o dia pode ser melhor, mas acho que ela dorme durante a noite e acorda no outro dia ainda pensando que o dia é melhor! Mesmo sabendo que ela precisou da noite para acontecer isso. Sem a noite, arlequim, o mundo estaria pior do que está, acredite.

Arlequim só ficou pensativo sobre aquelas palavras. E percebeu que veio até ali para buscar uma resposta que não existe. E sobre o coração. Arlequim nunca ouviu essa palavra, será que o senhor da noite estava certo sobre ele não possuir um? Isso o deixou abalado, por um bom tempo ele apenas ficou olhando para o senhor da noite pensando. Quando voltou a falar estava chorando.

Disse que estava sentindo uma coisa que até ele, que vivia sozinho no mundo não havia sentido. Medo. Apesar de sofrer por viver basicamente sem carinho até mesmo da sua família e sozinho nunca teve medo, e agora que descobriu que não tinha coração, o medo nasceu em sua alma. E isso o deixou sem sentido para viver. Falou que era melhor nem ter nascido.

O senhor da noite disse que ele estava enganado. Falou que todo mundo nasce com um propósito. Mesmo ele que nasceu sem coração tinha um propósito. Arlequim perguntou que propósito era esse. O senhor da noite disse que ela saberia quando encontrasse seu coração, pois ele estava perdido em algum lugar. Arlequim pensou mais um pouco sobre tudo aquilo e resolveu que queria ficar mais um tempo na casa do senhor da noite, isso se o senhor da noite deixasse. O senhor da noite falou que deixaria somente com uma condição. - Outra proposta! Isso já esta me enchendo! - Disse arlequim. O senhor da noite apenas riu. Falou que era uma coisa pequena. Arlequim disse que para ele estava bem, se não fosse outra viagem para um lugar longe. O senhor da noite disse que isso ficaria para depois, o que ele queria era que quando chegasse o dia, ele, o senhor da noite diria para ele quando era o momento de partir em busca do coração que ele perdeu. Arlequim disse que para ele estava tudo bem. E assim, sem perceber que aquelas palavras escondiam coisas grandes e perigosas, arlequim passou a morar com o senhor da noite.

Continua....

1 Response to "Arlequim - Capítulo 02 – Coração perdido"

Ana Karoline Says :
28 de outubro de 2008 16:43

e não tem como não se influenciar por Neil Gaiman,né baby?
queremos mais!! ^^

Postar um comentário