Parte II - "Contos Inacabados"

1 Comments »



“Contos Inacabados” é o livro mais complicado de ler se você não for um daqueles que terminou “O Hobbit”, “O Senhor dos Anéis” e “O Silmarillion” e procura por mais informações sobre a Terra-média e suas Histórias. Conheço muitas pessoas que possuem esse livro e nunca o terminaram, eu já li mais de uma vez... O fato que leva isso é a complexidade narrativa de Tolkien outra é porque as maiorias dos contos do livro estejam inacabadas. E a coisa mais importante é que alguns fatos que ele narra em “O Silmarillion” tenha alguma diferença na história.

Podem até falar que é um ótimo livro, mas que é chato de ler, isso é. Além de ser muito cansativo. Eu costumo dizer que “Contos Inacabados” seja o livro de Tolkien mais financeiro de todos. Podíamos passar sem ele ou pelo menos, que ele tivesse outros contos. Porque sabemos que dar para editar mais de 10 livros com os manuscritos que ele deixou. Mas isso é uma coisa que só Christopher, seu filho, poderá dizer um dia. Mas minha opinião pode ser deixada para lá, pois os leitores querem ver um texto refinado sobre a Obra. Então, lá vai:

"Contos Inacabados de Númenor e da Terra-média" foi publicado pela primeira vez em 1980, sete anos após a morte de Tolkien. Como o título indica, o livro abriga diversas narrativas que não estão concluídas, seja por realmente chegarem a um final abrupto, com indicações vagas de como a história continuaria a partir dali, seja por possuírem diversas versões conflitantes, sem que Tolkien tivesse optado definitivamente por nenhuma delas.

E é justamente esse um dos grandes “charmes” de "Contos Inacabados": o livro permite que o leitor descubra a riqueza do gênio criativo de Tolkien e sua obsessão pela perfeição nos mínimos detalhes. O escritor que vemos nos "Contos" é alguém que tem uma relação dinâmica, viva e nem um pouco estática com sua criação, refinando aqui e ali com a delicadeza de um ourives, criando para seus personagens diversas origens e "tradições" que contam sua história. A semelhança com uma mitologia "verdadeira", criada por um povo em séculos de tradição oral, é impressionante: como os grandes mitos gregos, as lendas tolkienianas são riquíssimas em variantes e mutações no decorrer do tempo.

Mas o outro grande atrativo dos "Contos" é a variedade de cenários, e as informações reveladas sobre personagens e ambientes até então obscuros. O livro está dividido em seções correspondentes às Três Eras da Terra-média, com narrativas ligadas a essas respectivas épocas, além de uma última seção com temas diversos. Na Primeira Era, o leitor encontra as histórias de Tuor e de sua chegada a Gondolin, bem como a de Túrin Turambar, ambas com incrível riqueza de detalhes se comparadas aos capítulos de "O Silmarillion" que tratam dessas mesmas personagens.

Na seção dedicada à Segunda Era, temos a única narrativa em prosa sobre Númenor em seu apogeu que conseguiu sobreviver à Queda, além da "História de Galadriel e Celeborn", texto que fornece uma visão ampla do desenvolvimento da rainha de Lórien como personagem, além de informações extremamente interessantes sobre Amroth e Nimrodel. Na Terceira Era, o panorama é ainda mais vasto e fascinante: a história da morte de Isildur, o início da amizade entre Gondor e Rohan, o relato de Gandalf explicando como ele convenceu Thorin a aceitar Bilbo para a jornada até Erebor. Finalmente, a seção final conta com ensaios fantásticos sobre os Drúedain, os homens selvagens que ajudaram Théoden em sua jornada para Gondor, sobre os Istari (os Magos) e os poderes e funcionamento dos palantíri.

“Contos Inacabados", assim como "O Silmarillion", possui amplo indíce onomástico, além de notas escritas por Christopher Tolkien. O livro vem com o mapa da Terra-média que aparece em "O Senhor dos Anéis", além do único mapa da ilha de Númenor feito por Tolkien.

Como se foi comentado acima, é uma obra que apenas completa algumas lacunas que grande maioria não prestar atenção ou não se importa. Servindo apenas como um livro para aqueles que buscam por mais informações que “O Senhor dos Anéis” e “O Silmarillion” deixou do ar. Sim, meus caros, até mesmo Tolkien não conseguiu explicar algumas lacunas que loucos como eu conseguiu enxergar lendo essas obras. Eu não indico para todos lêem, indicado para aqueles que não se farta de ler Tolkien.

Viu como foi rápido escrever sobre o livro.

1 Response to "Parte II - "Contos Inacabados""

Ana Karoline Says :
31 de dezembro de 2008 05:12

Fiquei muito confusa lendo Contos Inacabados..... tenho que ler todos os livros de novo!!!!^^

Postar um comentário